CASO LAM_EMBRAER - Segundo NINI SATAR, há mais alguém a ser preso - Rádio Voz Coop

Breaking

Esta é a Rádio Comunitária "A Voz da Cooperativa". Notícias de Moçambique e do Mundo na nossa página. A melhor parte da comunicação social em Moçambique. As rádios comunitárias são oficialmente a melhor cobertura de mídia em Moçambique, cubrindo mais de 75% do território nacional.

ESTE ESPAÇO PODE SER SEU. LIGUE 826662220

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

CASO LAM_EMBRAER - Segundo NINI SATAR, há mais alguém a ser preso

Os ventos que sopram da Procuradoria-Geral da República (PGR) são desconfortantes. Há muitos truques e pouco trabalho de fundo. Ou seja, o que se chama realmente de trabalho a nota é ZERO.
Resultado de imagem para António Carlos do Rosário Moçambique


Nini satar sempre a nos fornecer novidades

Última hora

Jogadas da PGR!

Das minhas fontes que nunca falham, soube que a PGR, em coordenação com o Gabinete Central de Combate à Corrupção (GCCC) prepara-se para mandar prender António Carlos do Rosário, o sobejamente conhecido indivíduo “A”, da triste saga das dívidas ocultas.

É questão de dias. António Carlos do Rosário irá preso. A PGR já está a fazer demarches para isso, embora até aqui não tenha encontrado a colaboração necessária dos demais juízes que deveriam assinar os mandados.

As minhas fontes, reitero, que nunca falham, garantira-me que alguns juízes contactados pela PGR para assinarem o mandado mostraram-se pouco cooperativos. É que estão frustrados com o truque de prender para depois soltar mediante o pagamento de caução ou por Termo de Identidade e Residência.

Aliás, é que o truque já está desenhado e partiu da própria PGR. O desfecho deste caso foi ensaiado para que se não difere de muitos. Há dias vimos a mesma vergonha a ser passada pela juíza Ludovina, no “caso Embraer”.

A PGR só vai mandar prender o ex-director da Inteligência Económica do Serviço de Segurança do Estado (SISE) só para impressionar os doadores e o FMI. Não há mínimas chances de manter António Carlos do Rosário na prisão.

Se até os suspeitos do “caso Embraer” foram caucionados, imaginem um indivíduo que vem das fileiras da secreta e, acima de tudo, amigo de Armando Guebuza e companhia.

O que o Presidente da República deveria fazer, se efectivamente está disposto a contribuir para o bem desta nação, era demitir os procuradores em bloco. Não adianta substituir só Beatriz Buchili. Tem que ser a equipa toda. Há que refrescar as fileiras da PGR com indivíduos realmente comprometidos com o bem de Moçambique. E não é preciso lupa para encontrá-los. Procurando


Enviar um comentário