Cidadãos da Matola contra parcelamento de talhões

A falta de parcelamento de talhões nalguns bairros pode minar a circulação de pessoas, bens e serviços básicos. Embora seja um ganho esta realidade é repudiada por muitos povos indígenas no município da Matola.
Resultado de imagem para parcelamento de talhões em Maputo

Moradores do bairro Khongoloti, posto administrativo de Infulene, são contra o processo de parcelamento de talhões. Os mesmos alegam que o processo não é transparente ou seja acreditam que não há justiça, pois algumas famílias perdem suas terras a favor de infra-estruturas que não os ajudam em nada em vez de praticarem a agricultura, uma forma de rentabilizar suas vidas. Beatriz Cossa explicou a nossa reportagem que na maioria das vezes não são atribuídos a cidadãos para erguer casas e sim dados a comerciantes estrangeiros na sua maioria para prática do negócio. José Xitlango, um dos líderes comunitários que conversou com a nossa reportagem, explanou que a falta de parcelamento deixa os bairros sem ruas para circulação de bens e serviços e o acesso a esta zona residencial é limitado.
Enviar um comentário
Com tecnologia do Blogger.