CASO LAM_EMBRAER-Liberdade provisória custa quase 15 milhões de Meticais

Os três arguidos detidos, na terça-feira, em conexão com o caso de aquisição de duas aeronaves de marca Embraer para a companhia área nacional, entre 2008 e 2009 foram interrogados, esta quinta-feira, pelo tribunal judicial da cidade de Maputo. Após a audição, o tribunal decretou como medida de coacção a liberdade provisória, mediante pagamento de caução, como refere o advogado de defesa de um dos arguidos, Abdul Gani.
Caso Embraer da LAM: Arguidos em liberdade provisão mediante pagamento de caução

Após a audição, o tribunal decretou como medida de coacção a liberdade provisória, mediante pagamento de caução, como refere o advogado de defesa de um dos arguidos, Abdul Gani.
Segundo Abdul Gani, a cada um dos arguidos foi arbitrada uma caução, cabendo ao José Viegas o pagamento de três milhões e quinhentos mil meticais. O arguido Paulo Zucula deverá pagar uma caução de cinco milhões de meticais e o Mateus Zimba, seis milhões de meticais, para aguardar o julgamento em liberdade provisória.  De acordo com um comunicado do Gabinete de Central de combate a corrupção recebido, esta quarta-feira, na nossa redacção, os três arguidos são também suspeitos de uso indevido de fundos públicos, no processo da compra, venda e aluguer de duas aeronaves. (RM)
Enviar um comentário
Com tecnologia do Blogger.