Jovem moçambicano cria aplicativo para controlar o trânsito

Um aplicativo denominado “NaVia” é a mais recente solução tecnológica nacional que, segundo os mentores, poderá minimizar os problemas do tráfego automóvel que se registam um pouco por todo o país.
Resultado de imagem para Transito em maputo

Facultar informação sobre a situação do trânsito nas estradas, em tempo real, como por exemplo a existência ou não de transporte público, entre outras é o objectivo da inovação.

Com o aplicativo em mãos, o usuário pode fazer-se à estrada sem receio de ficar longas horas na fila de espera pelo transporte (chapa) ou preso no congestionamento.

Edson Muthombene, o criador da solução tecnológica, conta que a mesma já foi testada e os resultados foram satisfatórios, facto que o motivou a levar a sua ideia avante. No entanto, refere que actualmente está a colher as reacções dos utilizadores.

O inovador conta que a ideia surgiu após ter mudado de residência, da cidade de Maputo para um outro ponto da província. As dificuldades foram enormes, pois, segundo explicou, sair e/ou entrar na cidade de Maputo à hora de ponta tornou-se num autêntico pesadelo. 

Depois desta constatação, a fonte trabalhou afincadamente para a solução do seu problema e de muitos outros.

“Nas minhas pesquisas, vi que há falta de informação sobre o tráfego. Não obstante a minha dor, resolvi colher opiniões de diversas pessoas. Todas eram unânimes em afirmar que havia problemas nesta matéria. Daí que resolvi criar o protótipo, apresentado depois na Feira de Tecnologia de Moçambique (MozTech). No evento pude medir e confirmar o elevado nível de interesse que as pessoas tinham em usar o meu aplicativo”, disse.

Apesar dos avanços, na altura, o aplicativo ainda não tinha nome. O inovador pensou numa designação que pudesse ser curta, sugestiva e fácil de memorizar, e baptizou a sua criação com o nome de “NaVia”.

Edson Muthombene está actualmente a trabalhar para o lançamento oficial do aplicativo. “A principal ambição da nossa equipa é manter os olhos fixos no bem-estar da sociedade, principalmente na área de transportes”, concluiu.
Enviar um comentário
Com tecnologia do Blogger.