Jusstiça mais próxima do cidadão

Mais de cem pessoas beneficiaram ontem de assistência jurídica gratuita no bairro de Magoanine, cidade de Maputo, por ocasião do Dia Nacional de Advogados. Com efeito, pessoas oriundas de vários bairros tiveram a oportunidade de apresentar casos como de conflitos laborais, litígios familiares e civis, que há muito não tinham devido acompanhamento.

Os beneficiários mostraram-se satisfeitos com a iniciativa, apontando para a vantagem da prestação de serviços de justiça de forma grátis, se se considerar as dificuldades financeiras para pagar um advogado.

Resultado de imagem para Justiça moçambique
A título de exemplo, Ernesto Manjate, de 45 anos de idade, ficou desempregado há cinco anos após o patronato ter encerrado a empresa, do ramo de construção, sem indemnizar os trabalhadores. Contou que, vezes sem conta, procuraram uma solução, sem no entanto lograr sucesso.
Graças à “caravana” de justiça a fonte espera pela reposição dos seus direitos.
O mesmo sentimento foi expresso por Salmina Nhone, de 59 anos de idade, que se dirigiu à tenda dos advogados para resolver conflitos envolvendo a sua filha e o genro.
“O meu genro mandou embora a minha filha após cinco anos de convívio a dois. Deixou-a com uma criança, que nem sequer paga a pensão”, disse.
Tomás Timbana, antigo bastonário da Ordem dos Advogados e membro do Instituto de Acesso à Justiça, disse que a acção insere-se no âmbito da promoção da justiça, sendo necessário que o organismo leve os serviços mais próximos e acessíveis às pessoas.
Refira-se que iniciativas do género decorreram em todas as províncias do país. As cerimónias centrais alusivas ao dia desta classe social decorreram em Nampula.


Fonte: Notícias
Enviar um comentário
Com tecnologia do Blogger.