Munícipes de Maputo, apoiam a proibição de vidros fumados nos carros

A decisão de proibir a circulação de viaturas com vidros fumados na cidade de Maputo, contestada pela Ordem do Advogados, é vista com bons olhos pelos cidadãos da capital moçambicana. Estes pronunciamentos surgem depois da resposta negativa dada pelas autoridades policiais na manhã de ontem, dizendo que a Ordem está equivocada em relação ao assunto.


Alguns cidadãos entrevistados pela reportagem da Rádio Voz Coop, afirmam que a proibição trás consigo vantagens porque algumas pessoas não colocam vidros fumados para o bem dos seus carros, mas para outros fins obscuros, segundo explicou André Cande. Tomás Mahumane é outro munícipe e transportador semi-colectivo de passageiros que aceitou falar a nossa reportagem e explica que a PRM deve fiscalizar apenas viaturas particulares e não de transporte de passageiros. Queremos aqui lembrar que em Junho último o INATTER chegou até a considerar ilegal multar automobilistas por terem viaturas com vidros fumados. Pode Ler o artigo publicado pelo portal Folha de Maputo e outros segundo o anexo que se segue:
A Polícia da República de Moçambique está numa “operação ofensiva” ilegal de aplicar multa aos automobilistas que possuem viaturas com vidros escuros, comummente designados por “vidros fumados”. De acordo com a resposta da Repartição de Especialidade do Instituto Nacional dos Transportes Terrestres (INATTER), na província de Sofala, a uma exposição a um cidadão que remeteu uma queixa àquela instituição, após ser aplicado a multa, a transgressão referida do artigo 118/1 do Código de Estrada não inclui a escureza dos vidros. “Anula-se a multa pelo facto de não se considerar transformação de veiculo a existência de vidros escuros”, clarifica o despacho do INATTER. Perante esta clarificação, quantos cidadãos ficaram lesados por este excesso de zelo das autoridades policiais? Será que a PRM deverá devolver ao cidadão o seu dinheiro?
Enviar um comentário
Com tecnologia do Blogger.